Voltar

Empresa dá bom exemplo com a preservação de fauna em APP de mais de 500 mil m².

5 de outubro de 2020 - Notícias

Na semana em que se comemora o Dia dos Animais, grupo empresarial apresenta Projeto de Reconstrução Florística da APP do Plateau d’Or, que visa preservar a riqueza natural da área verde na região sudeste de Goiânia e ainda recuperar 7 hectares de vegetação às margens do Rio Meia Ponte e dos córregos Gameleira e Buritis.

 

Atrás apenas de Edmonton, no Canadá, Goiânia é a segunda cidade com mais áreas verdes no mundo. Segundo levantamento da Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma), a capital goiana conta com 94 metros quadrados de área verde por habitante, enquanto que a cidade canadense conta com 100 metros quadrados por habitante. Mas, para manter esse título, é preciso investir constantemente na conservação da biodiversidade presente nestas áreas. Um assunto importante de ser lembrado nesta semana em que se celebra o Dia Mundial do Animais, comemorado em 04 de outubro.

Boa parte das áreas verdes de Goiânia possui uma rica fauna de espécies típicas do Cerrado e a cidade conta com bons exemplos de empresas e instituições que se empenham na preservação do bioma e sua fauna e flora. Um desses exemplos é o trabalho desenvolvido pelo Grupo Toctao na Área de Preservação Permanente (APP) do Plateau d’Or, empreendimento que irá integrar a região dos condomínios horizontais de alto padrão da cidade, localizada na saída da GO-020 para Bela Vista.

Já em construção, o complexo é um dos exemplos de iniciativas que buscam preservar e resgatar a fauna e a flora no perímetro urbano de Goiânia. O Projeto de Reconstrução Florística da APP do Plateau d’Or visa preservar mais de 500 mil metros quadrados de área verde na região sudeste de Goiânia e ainda recuperará mais de 7 hectares às margens do Rio Meia Ponte e dos córregos Gameleira e Buritis. Para a recuperação, a gestora ambiental e coordenadora de Sistema de Gestão Integrado da empresa, Cinthia Martins, destaca que serão plantadas cerca de 65 espécies nativas do Cerrado, entre elas Angico, Araticun do Mato, Jequitibá, Jenipapo, Ipê, Ingá e Aroeira.

Segundo Martins, a ação de preservação também vai impactar diretamente preservação da fauna na região, já que o projeto busca restaurar os ambientes naturais que são abrigos da fauna e proporcionar uma área maior para os animais. “Apesar de não ser possível estimar quantos animais vivem na região, principalmente pelo comportamento de muitas espécies, especialmente os pássaros, já foi possível encontrar diversas espécies na região, como quatis, tamanduás-bandeira, macacos bugio e veados-catingueiros”, destaca a gestora ambiental.

As áreas de preservação permanente na Fazenda Gameleira totalizam 521.352,43 m² e são constituídas por fragmentos de vegetação nativa remanescente e margens dos córregos Gameleira e Buriti, além do Rio Meia Ponte.

Elas são protegidas durante todo o processo de construção do empreendimento e serão cuidadas continuamente pois integram a área do condomínio. Já a que será recuperada, contará com cuidados do Grupo Toctao por até dois anos após a finalização das obras do Plateau d’Or.

Para proteger os animais nas áreas de preservação, são realizadas ações de conscientização e monitoramentos frequentes da região. “É realizado semestralmente o monitoramento da fauna presente no local para identificar os impactos que a obra pode estar causando nas matas. Os colaboradores também são orientados a respeitar a fauna e afugentar os animais para as áreas de mata caso os encontrem nas áreas de obras e nunca matar ou aprisionar. Adicionalmente foram instaladas placas de orientação e sensibilização sobre a proteção da fauna”, detalha Cinthia.

Relação com a natureza.

O empreendimento também buscará aproximar os futuros moradores da região das áreas de preservação permanente, de maneira sustentável e consciente. “O empreendimento contará com trilhas no meio da mata, além de um mirante que possibilitará o morador a contemplar as espécies respeitando seu habitat natural”, explica a gestora ambiental.

O Plateau d’Or é um condomínio horizontal com projeto pautado na sustentabilidade. O residencial tem assinatura do escritório inglês de arquitetura mundialmente premiado Broadway Malyan, que traz os inovadores conceitos de walkability e placemaking – que estimulam caminhabilidade e o sentimento de pertencimento ao lugar com objetivo de se criar um cenário onde se possa viver em comunidade e em harmonia com a natureza. Já na parte externa o Hub Humano tem projeto do escritório francês TripTyque e implantará um verdadeiro ecobairro que atenderá toda a população da cidade.

 

 

VER MAIS NOTÍCIAS