Voltar

Beneficiados recebem chaves do Residencial Porto Dourado 1

7 de agosto de 2019 - Notícias

Apartamentos são fruto de parceria do Governo Federal com Governo Estadual e da Vila Brasil Engenharia, empresa do Grupo Toctao. Construtora apostou em tecnologia de ponta que garante qualidade, segurança e agilidade da edificação.

Historicamente a casa própria é um sonho dos brasileiros. De acordo com uma pesquisa realizada, em 2019, pela startup MindMiners, especializada em pesquisas digitais, 52% dos brasileiros ainda tem a aquisição da casa própria como o principal desejo. Outra pesquisa, desta vez desenvolvida pela Fundação João Pinheiro, aponta que 6 milhões de brasileiros não têm onde morar. Em Goiás, o Instituto Mauro Borges aponta que 429.759 famílias estão em situação de déficit habitacional, sendo que 13,65% estão na capital.

No último sábado (03), 496 famílias, com renda total de até R$ 2,6 mil, receberam as chaves do seu primeiro imóvel e realizaram o sonho da casa própria. São os contemplados de uma ação de parceria entre o Governo do Estado de Goiás, por meio da Agência Goiana de Habitação (Agehab), do Governo Federal, por meio do programa Minha Casa Minha Vida, e da Vila Brasil Engenharia, empresa do Grupo Toctao, que selecionou os beneficiados da primeira etapa do Residencial Porto Dourado, que é localizado na região Sudoeste de Goiânia, saída para Aragoiânia. A entrega das chaves mais de 1.740 pessoas e contou com a presença do vice-governador Lincoln Tejota e de outras autoridades estaduais e nacionais.

Durante o evento de entrega das chaves da primeira etapa – que é referente ao primeiro dos três condomínios do programa habitacional – foi lançada uma campanha de indicação para inscrições de preenchimento de cerca de 200 unidades para os imóveis da segunda etapa do empreendimento que já está em construção. Para participar e também realizar o sonho da casa própria, o interessado deve ter renda mensal familiar de até R$ 4 mil reais e preencher outros requisitos do Minha Casa Minha Vida, como: não ter restrição cadastral (Serasa, SPC, Bacen e Receita Federal), morar e trabalhar há pelo menos três anos na Região Metropolitana de Goiânia e ter família composta por, pelo menos, duas pessoas.

VER MAIS NOTÍCIAS